Páginas

sábado, 27 de abril de 2013

Case: Lukes’Studio

A Startup Lukes’Studio iniciou seu processo de aceleração na Sýndreams em setembro de 2013. Sua ideia inicial era criar móveis com designer diferenciado. Para isso, iria necessitar desenhar e fabricar seus móveis, para depois iniciar o processo de vendas.

Desenhar o móvel não geraria custos iniciais para a Startup, entretanto a fabricação de móveis era um custo alto, pois o empreendedor não tinha fábrica para tal atividade, assim precisando terceirizá-la.

Iniciamos o processo buscando primeiro entender o mercado em que a Lukes’Studio pretendia atuar e também quem eram seus reais clientes e o que eles valorizavam em um móvel. Já na primeira análise percebemos um grande número de concorrentes que já desenhavam e fabricavam móveis com designer, este não poderia ser o diferencial da Startup. Em contrapartida encontramos uma grande oportunidade: “pessoas que buscavam um móvel personalizado com designer diferenciado”; assim, este passou a ser o foco do negócio!

Esta personalização ofereceu a oportunidade do empreendedor iniciar seu negócio sem a necessidade de fabricar os móveis antes da venda; afinal, ele precisaria receber o pedido, analisar a necessidade de cada cliente, e criar um móvel específico para ele. Este é um produto de valor agregado muito alto, por isso foi definido como público principal as classes A e B.

O próximo passo foi colocar a ideia em prática; desenvolvendo um site, com algumas sugestões de móveis, sempre deixando clara a possibilidade de personalização.

Resultado: muitos acessos ao site, muitas curtidas e compartilhamentos de fotos, alguns pedidos de orçamento, mas nenhuma venda!

Voltamos para as análises:

  • A personalização de móveis tem um custo alto, principalmente por não conseguirmos aproveitar materiais;
  • Algumas personalizações ainda não são possíveis com materiais nobres; o que afastou as classes A e B das compras;
  • O público que mais se interessou pelos desenhos apresentados foi o da classe C, mas que apesar de gostar e querer o produto, não efetivou a compra por achar o preço alto!

Resumindo: A oportunidade existia, mas ao contrário do que se previu no primeiro momento, não estava entre as classes A e B; mas sim na classe C. Assim, o empreendedor tem três possíveis soluções:

1ª Mudar o produto: buscar alternativas de materiais nobres, mais elaborados que atendam os desejos das classes A e B e buscar uma comunicação que atingisse melhor esse público;
2ª Tentar baixar o preço: transformar os fornecedores (fabricantes de móveis e de matéria prima) em parceiros ou sócios do negócio, para conseguir diminuir seus custos;
3ª Mudar de negócio: buscar uma nova oportunidade no mercado.

Depois de algumas conversas com fornecedores, parceiros, pesquisadores e possíveis clientes, o empreendedor decidiu mudar de negócio. Ele percebeu nestas conversas, que além dele existem outros designers de móveis que não tem onde expor seus desenhos e/ou móveis prontos para serem vendidos, além de compreender que a classe C está buscando por produtos de designer diferenciado.

Assim, ele resolveu que iria iniciar um site de e-commerce, tendo como clientes os outros designers que desejam vender seus produtos on line e o usuário final, que irá até o site comprar estes móveis.

Recuperou seu investimento com informações preciosas que o ajudaram a construir seu novo modelo de negócios, com muito menos incertezas que no projeto anterior; com parceiros mais bem definidos e com um possível sócio a caminho!

É importante ressaltar que se a Lukes’Studio tivesse desde seu início fabricado os móveis para vendas, seu investimento inicial seria pelo menos 10 vezes maior, e o resultado seria: sem vendas, sem recuperação financeira, com informações importantes sobre novas oportunidades, mas sem capital para iniciar um novo empreendimento e aproveitar as descobertas feitas no mercado.