Páginas

terça-feira, 29 de março de 2016

Inovação para gerar negócios

Por Sandra Elisabeth

Kotler, em seu livro “A bíblia da inovação” afirma que durante anos, a inovação foi sinônimo de inovação tecnológica, assim envolvendo principalmente o departamento de P&D e, sobre tudo, os engenheiros. Hoje sabemos que esta é uma visão extremamente limitada sobre inovação e quais são suas fontes.


Já discutimos isso em outros artigos, mas reforço: a principal fonte de inovação é o cliente. Ele é quem diz o que precisa, se vai comprar e quanto está disposto a pagar!

Para quem mesmo assim acredita que inovação só acontece quando um produto incrível é descoberto, conto-lhes o exemplo da empresa Local Motors.

A Local Motors é uma empresa que combina co-criação e micro-fabricação para trazer inovações de hardware para o mercado a uma velocidade sem precedentes. Entenda por hardware os carros, bicicletas e outros veículos.

Rally Fithter - Local Motors
E não, não foram eles que desenvolveram o carro do Google! Na verdade, a inovação da Local Motors está na forma como criam o carro e não no carro em si! Vou explicar:

A empresa desenvolve seus veículos de forma co-criada, ou seja, os engenheiros, designers e makers se juntam em uma comunidade para “discutir” o que será este veículo; como será seu designer, quais peças usar, etc.

Geralmente a equipe da Local Motors diz o objetivo geral do veículo e o chassi base, o resto todo fica com a comunidade. É claro que ao longo da discussão desta comunidade, os mediadores da empresa vão mostrando os prós e contras de cada uma das peças sugeridas, designers e pontos levantados na discussão.

Esta comunidade é formada pelos pré compradores do veículo, ou seja, você auxilia no desenvolvimento e criação do seu próprio carro.

No final das discussões, com o projeto completo, basta o carro ir para a linha de montagem. Cada cliente busca o seu carro na fábrica e ainda pode auxiliar na montagem do mesmo.

Não preciso dizer que a empresa não vende muitos carros por ano, como acontece com uma Ford, Fiat... porém, ela também não tem os mesmos custos que estas tem; pois apesar de ser altamente inovadora, sua fábrica é pequena (micro-fabricação), não possuem um grande número de engenheiros, designers, etc; ou seja, não têm funcionários caros! Na verdade, tem alguns poucos mediadores que atendem a um grande número de engenheiros e designers que estão na comunidade!

Os resultados: atualmente a empresa está desenvolvendo um carro impresso em 3-D. No passado foi uma das primeiras a desenvolver um carro elétrico e em tempo recorde: 2 meses!

Assim, precisamos deixar de lado a ideia de que só inova quem tem muito dinheiro... é muito grande... e só vale inovação disruptiva! Este exemplo prova que até para desenvolver um carro (que é só um carro) há como inovar muito mais do que apenas trocar as peças analógicas por digitais e inserir sinal de Internet no painel do veículo.

Fica a dica: INOVEM FORA DA CAIXA! OUÇAM SEUS CLIENTES!

domingo, 20 de março de 2016

Sýndreams esteve presente no Acelera Startup FIESP CIESP etapa Americana, SP

A Sýndreams esteve presente na 8ª edição do Concurso Acelera Startup etapa Americana - SP, realizado pelo Núcleo de Jovens Empreendedores do CIESP em parceria com o Comitê Acelera FIESP (CAF) nos dias 18 e 19 de março na unidade da escola SENAI.

Das 12 startups aceleradas atualmente pela Sýndreams, 7 foram selecionadas, 2 ficaram classificadas entre as 10 melhores, sendo que uma delas foi a grande vencedora. A seguir alguns destaques do evento.


Startups Aceleradas pela Sýndreams selecionadas para o evento:
Lole, Moovup, Fashion Off, Locauz, Yashar Software, Next Solar e Pony Toy.



Abertura realizada por representantes da FIESP e CIESP contou com a participação de convidados e as 100 startups selecionadas para essa edição do Acelera.



Após a abertura uma aula com representantes do Desenvolve-SP, FAPESP e Centro Paula Souza. As palestras foram seguidas por uma mesa redonda, respondendo as dúvidas dos empreendedores.



Sandra Elisabeth, Diretora da Sýndreams Aceleradora realizou mentoria sobre Modelo de Negócios, MVP e Pitch. Acompanhando de perto também as startups aceleradas.


Sandra Elisabeth entregou o livro de sua autoria
ao coordenador do NJE CIESP, Oswaldo Nogueira
Na parte da tarde as startups conversaram com mentores de diversas áreas, com objetivo de dicas para seu modelo de negócio e ajustar seu pitch de 3 minutos.








O Acelera é uma ótima oportunidade para os empreendedores melhorarem seus modelos de negócio, ampliar parcerias e até encontrar sócios.



No sábado pela manhã, os empreendedores apresentaram seus pitchs individualmente para avaliadores e investidores. Após três rodadas de avaliação, foram selecionadas as 10 melhores pontuadas.




Duas startups aceleradas pela Sýndreams ficaram entre as 10 selecionadas: Next Solar (Quiosque Solar) e o Pony Toy (a vencedora do 8a Acelera).







Quiosque Solar





Pony Toy




Clique e conheça o case de sucesso da Pony Toy durante o processo de aceleração na Sýndreams. A startup definiu que irá licenciar a produção e comercialização do produto. A aceleradora está auxiliando na busca dos investidores (licenciadores). 


segunda-feira, 14 de março de 2016

Você é ou não um empreendedor?

Por Sandra Elisabeth

Semanalmente recebemos de 10 a 15 solicitações para acelerar startups. Muitos negócios são efetivamente muito bons, iniciam o processo de aceleração e ... param!

Muitas destas “paradas” acontecem porque o empreendedor recebeu a proposta irrecusável de trabalhar registrado em uma grande empresa, com benefícios, plano de saúde, etc.

O que isso tem de errado? Nada! Cada um faz a sua escolha... Aquilo que mais lhe agrada e lhe faz feliz!

A pergunta correta seria: esta pessoa é empreendedora? Não. Ela não é empreendedora, pois um empreendedor não tem medo de arriscar tudo o que tem em algo que ele acredita muito! O empreendedor não empreende porque precisa de dinheiro, ele empreende porque é visionário, sabe tomar decisões, faz a diferença, cria valor para a sociedade, consegue explorar as oportunidades ao máximo e são principalmente apaixonados pelo que fazem!

O que geralmente acontece é que estas pessoas, que iniciam uma startup e param por ter conseguido um bom emprego, são na verdade Intra-empreendedoras, ou seja, pessoas que trabalhando em empresas (que não são suas) se aventuram à realizar coisas difíceis ou fora do comum; são pessoas ativas e arrojadas!

O que geralmente impede um intra-empreendedor de empreender são:

• Medo do fracasso;

• Achar que precisa de muito capital para empreender;

• Falta de apoio de amigos e familiares;

• Necessidade de estabilidade;

• Meio em que está inserido;

• Não tem nenhuma ideia de negócio próprio ;

• E uma infinidade de motivos particulares.

Dentre todos estes problemas, o que mais me chama a atenção é a falta de apoio de amigos e familiares. Conheço muitos empreendedores que estão “presos” (é assim que um empreendedor se sente quando não faz o que quer) em trabalhos comuns, pois a família tem a necessidade de estabilidade.

E aqui vai um recado para as mulheres: geralmente esta necessidade de estabilidade é maior nossa e por isso ficamos impedindo nossos maridos de empreenderem. Cuidado! Já vi mais de 10 casamentos terminarem por isso!!!

Enfim, não há um certo ou errado! É apenas necessário que você se conheça muito bem antes de começar a empreender. Pois se você for um intra-empreendedor com certeza será um ótimo funcionário e também será muito bem pago, pois as empresas estão buscando este perfil de profissional. Portanto, não gaste seu dinheiro em empreendimentos, busque sua recolocação. Invista em cursos e treinamentos que vão melhorar o seu currículo.

Agora, se você for mesmo um empreendedor. Não desista! Continue buscando seu sonho! Encontre aceleradoras que te apoiem, incubadoras que abracem seu projeto e siga em frente.

Tem dúvidas, se você é ou não um empreendedor? Minha dica é leia o livro Business Model You, desenhe o seu modelo de negócios e descubra o que é que mais te agrada fazer!

Vamos em frente! Sucesso.

domingo, 6 de março de 2016

Startup que desenvolveu a roupa para sandálias busca licenciador para ampliar negócio

A startup Cuore Mio, que fabrica e comercializa via Internet as Loles (roupas da sua sandália), está atrás de licenciadores da marca para ampliar o negócio. A empresária Elisa Ventura quer ampliar para o Brasil todo o alcance das vendas da Lole.



O início da Startup aconteceu quando ela, diante da máquina de costura, relutou com o fato de um determinando modelo de customização ser fixado nas sandálias de dedo. O tecido costurado diretamente nas tiras da sandália; as transformariam permanentemente em outro estilo de calçado. Para não “perder” suas sandálias Elisa decidiu criar uma nova forma de customizar as sandálias, que pudesse ser colocado e tirado quando quisesse.

Por surpresa dela, as pessoas começaram a pedir seus modelos dizendo: "Eu quero uma faixinha pra mim!... Faz uma coisinha dessa... posso comprar este negocinho?...". E então Elisa se deu conta de que havia criado um produto que não existia. Coisinha, capinha, roupinha... o novo produto precisava de um nome para identifica-lo... e de uma patente para definir seu conceito, visto que poderia ter várias formas, cores, texturas e utilidades, desde que fosse possível colocar e tirar das sandálias como uma roupa.

Roupa era a palavra chave. Então nasceram as Loles. Lole significa "roupa", na língua havaiana. A roupa das suas sandálias!

Após começar a fabricar e vender suas Loles, Elisa percebeu que não lhe bastava saber costurar ou entender um pouco de moda! Ela precisava também saber administrar seu negócio. Foi quando procurou a Sýndreams Aceleradora.

Na Sýndreams, Elisa reposicionou seu produto agregando o valor necessário para atender o público-alvo. Revisou todos os seus custos e chegou a um preço de vendas que varia de R$ 40,00 a R$ 70,00, sendo o modelo preferido das clientes, de acordo com a empresária, a Lole Urban, da foto abaixo, que parece uma botinha de tecido!


A Lole Aloha, é a peça mais barata da Cuore Mio e muito procurada por quem gosta de praia e piscina, mas não dispensa ficar bonita e bem arrumada.


Tanto as Loles Urban, como as Alohas possuem variados modelos, o que permite os clientes escolherem seus favoritos.

"Para os clientes é importante que haja sempre novidade, principalmente de tecidos e cores", diz a empresária Elisa Ventura.

Público-alvo principal são mulheres

Ventura diz que o público-alvo principal são mulheres, de classe A e B. "São mulheres que além de desejarem ficar bonita, são práticas na hora de se vestir. Vão ao clube de sandálias de dedos para tomar sol, porém quando saem querem estar com calçado mais apropriado para uma ida ao shopping, e a versatilidade da Lole permita que se faça isto sem precisar carregar sacolas ou bolsas extras”.

A empresa hoje atende principalmente os Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais. As clientes podem escolher a Lole pela internet e recebê-la em casa pelos Correios.

"Pela internet, as clientes contam com um guia online por meio de vídeos para ajudar na forma como calçar suas Loles", afirma Ventura.

Resultados

Durante o processo de aceleração a empreendedora teve bons resultados e uma boa curva de crescimento no segundo semestre de 2015, como demonstrado no gráfico abaixo:


Próximos passos

Compreendendo o potencial da Lole, a empreendedora se convenceu que sozinha não conseguiria atender toda a demanda do produto. “Durante o Mercado a Mão Cheia, vendi todo o meu estoque, não imaginei que pudesse vender tanto em apenas 2 dias. Precisei até tirar os produtos temporariamente do site, pois se vendesse alguma coisa por este canal não conseguiria entregar!” afirma Elisa.

Elisa continua afirmando que “hoje é uma empresa de uma pessoa só e entende que para crescer será necessário expandir os horizontes, por isso busca empresas que estejam dispostas a licenciar a patente de fabricação da Lole, para que esta possa estar presente no Brasil todo”.

Os interessados em licenciar o produto podem procurar a Sýndreams Aceleradora no e-mail criativa@syndreams.com.br ou a Elisa Ventura no e-mail contato.cuoremio@gmail.com