Páginas

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

A inovação que precisa de gente!

Por Sandra Elisabeth

Quando você ouve falar de inovação a primeira coisa que vem a sua cabeça são máquinas e equipamentos que não precisam de pessoas para operar? Carros autônomos? Nanotecnologia? Superalimentos? Provavelmente sim!

E devido a este fato, uma pergunta recorrente que chega até mim é: “A inovação não vai tirar o lugar das pessoas no trabalho?”. E a resposta é NÃO!


Hoje, mais do que nunca precisamos de pessoas para que a inovação aconteça! As máquinas ainda não criam coisas, as pessoas criam! As pessoas são responsáveis pelo aumento do ativo intangível das empresas, ou seja, são as pessoas que desenvolvem ideias que viram patentes e marcas; as pessoas são o capital humano capaz de gerar propriedade intelectual nos negócios.

Infelizmente o Brasil está muito atrasado no que diz respeito à participação dos ativos intangíveis no valor total das empresas.

De acordo com um estudo da Consultoria Apsis, de 2009 à 2015, caiu de 60% para 37% a fatia dos ativos intangíveis no valor de mercado nas empresas brasileiras. Isto é assustador, porque de acordo com especialistas, quanto maior a fatia dos ativos intangíveis, maior o nível de inovação das empresas e mais valiosos são os negócios.


Mas porque mesmo sabendo que as pessoas são tão importantes no processo de inovação das empresas, em um momento de crise são os primeiros “custos” a serem cortados?

Talvez, porque falte gestão de pessoas nas empresas, um departamento de Recursos Humanos que funcione como administrador de comportamentos internos e potencializador de capital humano ao invés de simplesmente realizar tarefas de contratação, demissão e pagamento.

E aqui friso a diferença entre Departamento Pessoal e Recursos Humanos. Ambos são importantes em uma empresa, porém têm objetivos e funções distintas. O primeiro deve se preocupar com a formalização da contratação, sindicatos, pagamentos e com a demissão dos colaboradores – sempre observando as questões legais e contratuais. Já o segundo é o responsável por escolher quais os talentos serão contratados, como os colaboradores serão organizados, quais treinamentos e melhorias precisam ser feitos (em conjunto com a diretoria) e principalmente propor ações de melhoria continua aos funcionários, para que eles possam realmente gerar capital intelectual na empresa.

“Inovar é preciso e fundamental”, mas para isso acontecer precisamos de pessoas capacitadas e prontas para fazer as coisas acontecerem! Sem pessoas, não existe empresa ou negócios, apenas paredes frias e equipamentos desligados! As ideias vêm das pessoas, precisamos delas para fazer acontecer!


Pense nisto!

Nenhum comentário:

Postar um comentário